“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


31 de jan de 2010

Alvin


Hoje assisti a comédia infantil Alvin e os Esquilos 2, o filme campeão de bilheteria que desbancou Avatar. Quer saber? adorei! Voltei pra sala de cinema inaugurando nova fase e matando a saudade de rir gostoso.
Deu vontade de cantar e dançar com os personagens de perfeitas expressões corporais, que me arrancaram suspiros nos momentos de ternura ao falar de valores essenciais da vida.
O que desconfiei ser "programa de índio" foi uma deliciosa surpresa. Nada como ter prima com filho jovem para redescobrir encantos esquecidos. Aliás, duplamente, pois me reunindo aos dois, curti um programinha bem família. Pensando bem, foi um bom treino para a nova fase...de vovó!
Recomendo para quem quiser dar à sua criança interior umas horas em excelente companhia: chame quem quiser, e desfrute dessa alegria!

Me entrego...


Não sei se acontece com você, mas muitas vezes eu topo com uma palavra, um pensamento ou uma frase que tem efeito imediato em mim, me colocando em sintonia com sua provável intenção de mensagem, e nessa busca "viajo" por lugares que minha mente visita sem censura, divagando sobre como senti quando voltei minha atenção, o que quiseram dizer, para onde me levará essa nova pegada que estou a seguir...
Não me furto a esse prazer, não recuso o convite, me permito. E nessa andança voluntária, muitas vezes descubro coisas que nem pensei ou esperei. Me surpreendo, me angustio, me amedronto, me alegro, me identifico. Me perco e me encontro.
Temos tanta pressa que desprezamos o tempo...o tempo de recolhermo-nos, abrigando nossas inúmeras questões, tantas dúvidas, imensas incertezas, incluindo aí os clarões de equilíbrio, mostrando que já tivemos caminhos escuros, demos passos que não repetiremos - porque aprendemos - mas nos encontramos no hoje que, de alguma forma, superou o ontem. Isso é ultrapassar as dificuldades, sobrevivendo aos desesperados dias de dor, encontrando nosso lugar num mar de emoções que prometiam atirar-nos num abismo sem precedentes.
Quando nos conectamos com nossa essência profunda, enxergamos tudo que é, sem precisarmos de nada que lhes sirva de verdade maior. Essa, a profunda vibração de nossa alma dispara em algum lugar que os sentidos encontrem, leiam e tomem para si. Meditar é mediar esse encontro.

Este texto nasceu do comentário ao post anterior. Minha amiga Adelia veio iluminar com o farol de sua sensibilidade, essa percepção que já dormitava em mim, e estava pronta para compartilhar. Obrigada querida, pelo incentivo ao impulso secreto que só fez pegar carona nas tuas palavras carinhosas.
Meu afeto a você também!

The Eagles


"Tantas vezes nos acontece viver a vida presos e
nem sequer percebemos que temos a chave do cadeado."


Aprendendo a conviver com quem se ama


Ainda estou em leitura de um tema que, ao que parece, não se distancia de ninguém na realidade da vida. Esse entendimento que todos buscam assola os sujeitos do desejo - o desejo de ser feliz.
Donald Walsch não é um pretensioso, não se intitula coisa alguma ou afirma ter soluções universais. O que serve para todos, no meu tímido entendimento, é sua filosofia, a maneira como percebe o mundo, as pessoas, o universo que lhe cerca. Se nenhuma resposta pronta ele convoca no que nos diz, incita à refletirmos sobre o que expõe. E essa talvez seja a melhor - se não a única - maneira de mergulharmos no universo interior que nos distingue dos demais seres deste mundo: somos únicos, indivisíveis e diferentes na nossa essência, dentro de uma mesma natureza.
"Aprendendo a conviver com quem se ama" não é uma literatura rebuscada, o próprio livro não chama a atenção, exceto até ler o nome do autor. Ele vai para a sua casa com você, e não tarda a ser lido sem avidez, mas descortinando cada página, cujas letras organizam mais do que o texto, nossos pensamentos. Estes, equilibram as emoções, tocadas pelo ritual que ele usa de ir despindo conceitos, construindo os segmentos de uma firme convicção, embasada, resultante de anos de estudo e sensibilidade.
Em alguns capítulos ele subdivide o assunto focal - relacionamentos - falando da essência do amor, do casamento, das lutas de poder, dos grandes desafios, das escolhas e da reacriação dos relacionamentos.
Talvez o que dispare a leitura seja a abordagem já do início, quando ele fala sobre o problema que mais dor produziu na humanidade - nossos relacionamentos -causa de sofrimentos por não encontrarmos o modo de viver em harmonia, amando e sendo amado.

"A maioria de nós inicia um relacionamento pelas razões erradas. Ou seja, por razões que nada têm a ver com nosso objetivo geral de vida. Quando o objetivo para um relacionamento está em harmonia com a razão de ser da alma, nossos relacionamentos não somente são entendidos como sagrados, mas são considerados felizes." Se esta citação levantou em você alguma emoção, sugiro que leia o livro e, junto com Walsch, descubra seus porques...


* Em tempo, vale ressaltar que Walsch refere-se aos relacionamentos todos que estabelecemos ao longo da vida - com nós mesmos, nossa família, com o meio ambiente, trabalho e uns com os outros.



"Apendendo a conviver com quem se ama"
Neale Donald Walsch, Ed. Sextante

30 de jan de 2010

A Porta do Amor


Certo dia, a solidão bateu à porta de um grande sábio. Ele convidou-a para entrar. Pouco depois, ela saiu decepcionada. Havia descoberto que não podia capturar aquele ser bondoso, pois ele nunca estava sozinho: estava sempre acompanhado pelo amor de Deus.
De outra feita, a ilusão também bateu à porta daquele sábio. Ele, amorosamente, convidou-a a entrar em sua humilde morada. Logo depois, ela saiu correndo e gritando que estava cega. O coração do sábio era tão luminoso de amor que havia ofuscado a própria ilusão.
Em um outro dia, apareceu a tristeza. Antes mesmo que ela batesse à porta, o sábio assomou a cabeça pela janela e dirigiu-lhe um sorriso enternecedor. A tristeza recuou, disse que era engano e foi bater em alguma outra porta que não fosse tão luminosa.
A fama do sábio foi crescendo e a cada dia novos visitantes chegavam, objetivando conquistá-lo em nome da tentação.
Em um dia era o desespero, no outro a impaciência. Depois vieram a mentira, o ódio, a culpa e o engano. Pura perda de tempo: o sábio convidava todos a entrar e eles saíam decepcionados com o equilíbrio daquela alma bondosa.
Porém, um dia a morte bateu à sua porta. Ele convidou-a a entrar. Os seus discípulos esperavam que ela saísse correndo a qualquer momento, ofuscada pelo amor do mestre. Entretanto, tal não aconteceu. O tempo foi passando e nem ela nem o sábio apareciam.
Os discípulos, cheios de receio, penetraram a humilde casa e encontraram o cadáver de seu mestre estirado no chão. Começaram a chorar ao ver que o querido mestre havia partido com a morte.
Na mesma hora, adentraram na casa a ilusão, a solidão e todos os outros servos da ignorância que nunca haviam conseguido permanecer anteriormente naquele recinto. A tristeza dos discípulos havia aberto a porta e os mantinha lá dentro.
Enquanto isso, em outra dimensão, levado pela morte, o sábio instalava-se em sua nova residência. Agora, só batem em sua porta os espíritos luminosos. E, amorosamente, ele continua convidando todos os que batem a entrar. E ninguém quer sair de lá, pois agora o grande mestre "mora no coração de Deus".
Aivanhov e Yogananda – por Wagner D. Borges


Partilhado pelo Vitrine de Prata

Gustav Flaubert



"Vivemos todos num deserto.
Ninguém compreende ninguém."

Olavo Bilac



Bendito aquele que é forte
e desconhece o rancor;
E, em vez de servir a morte,
Ama a vida e serve o amor!

O coração é a casa do desejo. Permita que ele seja por inteiro!
A mensagem é linda...renda-se!!



Cada dia é um recomeço.
Boas escolhas neste dia...elas farão o amanhã.



Osho



"A vida é um caso de amor, é poesia, é música."

"Não-Pensamento do Dia"

29 de jan de 2010

Saint Germain



"Renascer é buscar a energia que supera limites e não julga. É a força do mais puro Amor Incondicional manifestado em todos os reinos, é o despertar da Verdade interna que atrai a chama do reinício de um novo ciclo a cada alvorecer, na Luz do eterno agora".

Mensagem


"Em meu Amor eu vos envolvo. Com minha Luz eu vos visto. Com minha Energia eu vos sustento para que possais seguir adiante, impávidos em vossa busca da felicidade e da perfeição de vós mesmos e de vosso mundo."

JESUS, O CRISTO
O LIVRO DE OURO de Saint Germain

Banco emocional



Conversar sempre é bom, areja, informa, surpreende, ensina.
As pessoas usam muitas metáforas para comunicar suas idéias, para dar-lhes uma envergadura mais glamurosa, ou um entendimento ampliado pelas percepções tão subjetivas e passíveis de fluência criativa.
Uma relação amorosa sendo comparada a um banco emocional foi novidade pra mim, mas de imediato gostei da analogia ao entender os semelhantes investimentos, as dívidas, cobranças, empréstimos. O déficit implorando por um superávit que não vem!!
Os débitos e créditos ficando visíveis, os juros que crescem sem parar enquanto as negociações parecem desfavoráveis para ambos investidores.
No banco emocional, a cada vez que um credita, parece que o outro só sabe debitar. Fazem saques que limpam a conta sem aviso prévio, empréstimos passam a ser cobrados muitas vezes numa luta cujo tilintar de moedas não esconde o estrondo de acusações e divergências inegociáveis.
Se o depósito não cobre o saldo devedor, aumenta o rombo dessa conta conjunta, que deveria ser gerida a dois, dividida, assumida como responsabilidade de ambos, em igualmente de proporção e regida por leis únicas.
Em nossa sociedade, ter a conta no vermelho mostra dificuldade. Tal qual o vermelho da vergonha ou o sangue quente do machucado profundo, denuncia um período de escassez, da falta que nada supre porque não há investimento para mudar o quadro desesperador, na maioria dos casos, sem precedentes. Muitas vezes faltam recursos, é verdade, mas também vemos descasos, abandono de tentativas de salvar a conta bancária. Esquecidos numa gaveta qualquer, ficam os cheques sem fundos, sem aval, sem valor.
O relacionamento - digo, o banco emocional - que não tem bom gerente, tende a sofrer forte desestabilização mediante aplicações erradas, escolhas equivocadas dos fundos e bolsas vazias de intenções de ganho rápido de capital. É preciso capitalizar, gerar recursos para inverter o jogo para, com o resultado das operações financeiras adequadas, os acionistas conseguirem marcar viagem para gastar os lucros dos dividendos da empresa vida - da qual são sócios majoritários - mais as reservas dos bônus da felicidade que enchem os cofres de notas (escritas) "eu te amo."

28 de jan de 2010

Ralph Waldo Emerson

Jardim Florido - Amrita


Flores Infinitas - Amrita

Em breve vou olhar por sobre os ombros
e apenas reconhecer a estrada por onde andei...

Autoria desconhecida

A amizade dos filhos




No começo, bem no comecinho, eles eram tão pequenininhos, que nos sentíamos diante de um altar:
Seres divinos, como anjos, pelos quais deveríamos zelar.
Fizeram-se inúmeras as noites em que não dormimos, os sonhos que não sonhamos...ou, se sonhos tivemos, foram sonhos outros, de poder sermos felizes na felicidade deles, pela qual veemente orávamos!
Por amor, não entramos em um esgotamento físico.
Não queriam o nosso peito de mães amorosas, choravam dores que tínhamos que adivinhar, e vieram cólicas, diarréias, catapora, gripes, calendários de vacinas, e...quantas mais!
Ah! Muito mais!
O pai teve que se empenhar.
A mulher, sozinha, sofreria muito.
Por adorá-los, superamos tudo.
Tão felizes ficávamos com a sua melhora, que tudo o mais tornava-se ínfima poeira, para tão logo esquecida.
Depois começaram a balbuciar, a engatinhar, a andar e os víamos como desbravadores de um mundo ignoto, tão cheios de vitórias!
Íamos a um céu de glórias!
Brincamos com eles nas praias da vida, enquanto cresciam, e sorriam e riam a gostosa gargalhada da inocência de criança. Que tanto nos comovia!!!
Puberdade, adolescência, fomos quantas vezes buscá-los nas baladas, nas noitadas que apenas suportamos porque era aquele o mundo deles, indevassável para nós, tão cheios de mistérios...indecifráveis mistérios.
Contudo, ao seu lado permanecíamos em uma vigília constante Vigilância, sim, pois eram os nossos anjos, ainda para nós aqueles pequeninos seres tão desprotegidos! E eles se achavam donos do mundo!
No vestibular, sofremos com eles.
"E o gabarito? Quantas você acertou?"
Será que os deixávamos mais aflitos? Não importa.
Sentiam o nosso zelo, a nossa ternura, a nossa veneração por eles.
Até que de repente...formaram-se, empregaram-se, casaram e nos deram netos. Já não precisam de nossos olhares tão atentos, mas continuam a amar-nos de inigualável amor. Como ninguém ousaria supor.
Hoje são nossos amigos, confidentes, anjos tutelares, não mais tutelados.
Ensinam-nos coisas que nunca imaginamos aprender, Contam-nos de seus amores e até de seus desamores. Ouvem os nossos pavores, como ouvíamos antes os seus noturno terrores.
Desdobram-se em mimos para conosco, seus pais e suas mães. São fiéis em seu afeto, e sempre nos dão acolhida em seus enormes corações.
Filhos amigos, como são bonitos! Como se esmeram em povoar a nossa mente com as mais ricas emoções. Se fomos deles a amizade primeira, temos deles agora...:A afeição inteira!!!
Porque são tão lindos
Estes nossos Filhos amigos!

Eliana Crivellari


Desenho de Jorge Bohaczuk

Amanhã, apaixone-se

A vida não precisa ser morna, não precisamos nos convencer de que podemos ser mais ou menos felizes. Tudo pode ser mais...

A paixão faz coisas iguais, serem diferentes, por isso a gente tem que ter a paixão de viver como combustível!!!


Assista, motive-se....apaixone-se!!!



Amanhã, apaixone-se
Porque o dia seguinte é o dia mais importante da sua vida.
É no dia seguinte que sabemos se o dia de ontem valeu a pena.
É no dia seguinte que acordamos para a realidade ou dormimos no sonho.
A vida da gente começa no dia seguinte e só existe uma maneira de viver: APAIXONADO.
Por isto dance, dance como se ninguém estivesse vendo você,
Trabalhe como se não precisasse de dinheiro,
Corra como se não houvesse a chegada,
Ame como se nunca tivesse sido magoado antes,
Acredite como se não houvesse frustração,
Grite como se ninguém estivesse ouvindo,
Beije como se fosse eterno,
Sorria como se não existissem lágrimas,
Abrace como se fossem todos amigos,
Durma como se não houvesse amanhã,
Crie como se não existisse crítica,
Vá como se não precisasse voltar,
Faça a próxima viagem como se fosse a última,
Vista-se como se não conhecesse espelhos,
Proponha como se não existissem as recusas,
Brinque como se não tivesse crescido,
Levante como se não tivesse caído,
Mergulhe como se não houvesse medo,
Aprecie como se fosse eterno,
Viva como se não houvesse fim.
Apaixonar-se é um exercício de jardinagem: arranque o que faz mal, prepare o terreno, semeie, seja paciente, espere, regue e cuide.
Terá um jardim.
Mas esteja preparado porque haverá pragas, secas ou excesso de chuvas.
Se desistir, não terá um jardim.
Terá um descampado.
A paixão não se vê, não se guarda, não se prende, não se controla, não se compra, não se vende, não se fabrica.
A paixão é a diferença entre o sucesso e o fracasso.
Entre a dúvida e a certeza.
Entre aqueles que gostam do que fazem e aqueles que fazem o que gostam.
Apaixonados não esperam, agem.
A paixão é o que faz coisas iguais serem diferentes.
Lembre-se que a arca de Noé foi construída por apaixonados que nada conheciam de navegação e de embarcação e o Titanic foi feito por engenheiros profissionais, fabulosos, que queriam mostrar seu poder.
Amanhã, quando acordar, pense se hoje valeu a pena e APAIXONE-SE.
Porque em 24 horas você vai entrar no dia mais importante da sua vida: O DIA SEGUINTE.

27 de jan de 2010

Tem gente


Tem gente que ama, e tem gente que ama um pouco mais.
Tem gente que é homem, e tem gente que é mulher.
Tem gente que gosta de falar, e tem gente que fala um pouco menos.
Tem gente que ciumenta, e tem gente um pouco mais ciumenta.
Tem gente que gosta de transar à noite, e tem gente que gosta pela manhã.
Tem gente que brinca, e tem gente que é séria.
Tem gente sabida com cara de boba, e tem gente boba com cara de sabida.
Tem gente segura, e tem gente insegura.
Tem gente que cala, e tem gente que grita.
Tem gente que olha, e tem gente que disfarça.
Tem gente carinhosa, e tem gente muquirana.
Tem gente triste, e tem gente alegre.
Tem gente que goza, e tem gente que se enrosca.
Tem gente que briga, e tem gente que vai embora.
Tem gente culpada, e tem gente desencanada.
Tem gente que tem filhos, e tem gente que não tem.
Tem gente que gosta de motos, e tem gente que gosta de livros.
Tem gente que dorme abraçada, e tem gente esparramada.
Tem gente que gosta de ar condicionado, e tem gente friorenta.
Tem gente de tudo que é jeito
e essa gente tão diferente
se apaixona, quer viver junto,
e se casa: é o nó.


Alfredo Simonetti in "O nó e o laço - desafios de um relacionamento amoroso".
RECOMENDO!

Khalil Gibran


"Deve existir algo extranhamente sagrado no sal:
está em nossas lágrimas e no mar..."

Couro de Boi

Esta é uma música de raiz, de autoria do Sérgio Reis. Se você prestar atenção na letra, é provável que seu coração conte que é mais, que é uma grande lição de vida.
Zezé Di Camargo declama os versos em um comercial da ARGO, parte de uma campanha vigente em Belo Horizonte.

Fica o convite...


26 de jan de 2010

Lindo!

À exemplo do espetáculo apresentado na Estação Central de Antuérpia, na Bélgica, a TAP promoveu evento semelhante em um aeroporto de Portugal.
Repetindo o sucesso da iniciativa, surpreendeu passageiros presentes no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, na quarta-feira deste 20 de janeiro de 2010, quando apresentou este número preparado para comemorar o Dia de seu padroeiro, São Sebastião.

Clique e aprecie sem moderação!!!


O amor que os torna cúmplices

Casais que lavam louças juntos são mais felizes, diz estudo estudo publicado pela Universidade de Ontário, no Canadá, revela que casais que dividem as responsabilidades domésticas são mais felizes e satisfeitas que famílias com outros modelos de divisão de trabalho.




Pelas andanças na internet, me deparei com essa pesquisa que revela a estatística diante de modelos comparativos de casais. Entretanto, muito mais relevante, ao meu ver, é o que os leva à realizar essa tarefa, juntos. E já fica respondido, uma vez que, pelo fato primeiro de serem dois, casal e dividirem uma vida, compartilham tarefas, por estarem juntos.
Contudo, também é fato que poucos arranjos nesse sentido podem ser observados na prática dentro da sociedade que vivemos, embora os homens estejam contribuindo mais no desempenho de tarefas domésticas. Porém, a proposta de foco aqui é outra...falo do amor orquestrado pelo prazer íntimo de estar com seu parceiro, fazendo companhia simplesmente, cuidando do cotidiano, ou, o que envolve o lavar louças juntos. A cumplicidade existente entre ambos estabelece essa interação amorosa, apagando a tarefa e enaltecendo o sentimento.
O casal que se ama, lava louças juntos pelo simples prazer de estar próximo, de partilhar o momento, somando a delícia de...estar junto...amando estar ali, amando o outro.
É o amor quem lava a louça!!

Amor de gente grande



Amor de corpo inteiro. Um amor que transcende, transpira, transborda. Amor com mãos e pés. Com dedos, braços, pernas, barriga, pele e abraços.

Um amor que surpreende, sem nada inventar, sem precisar exagerar, sem ter que sempre entender. Simplesmente ser... preencher, existir!

Amor que não investiga, que não desconfia, que não acusa.

Amor de palavras, mas também de silêncio. Um silêncio que aquieta o coração, que acaricia a alma e alivia as dores!

Amor que esvazia, que abre espaço, que permite.

Amor sem regras, sem pressões, sem chantagens. Amor que faz crescer.
Amor de gente grande, de coração gigante, de alma transparente.
Amor que permanece. De mim para mim, de mim para você, de você para mim.
Amor que invade respeitando, que adentra acariciando, que ocupa com leveza. Amor sem ego. Que acolhe, perdoa, reconhece.

Amor que desconhece para conhecer, que nunca lembra porque não esquece! Amor que é... assim, sem mais nem menos, sem eira nem beira, sem quê nem porquê.

Simplesmente simples, despretensioso, descontraído, desmedido.
De uma simplicidade tão óbvia que arrasta, que envolve, que derrete.
De uma fluidez tão líquida que escorre, desliza, que não endurece.

Amor que não se pede, que não se dá, porque já é! Para nunca precisar procurar, para nunca correr o risco de encontrar, porque já está!!!
E o que quer que ainda possa surgir... bobagem! Apenas crescimento e aprendizagem...

Volta para casa, não se vá!
Fique, permita-se, entregue-se, comprometa-se!
Simplesmente amor... Você consegue?!?


Rosana Braga in "Faça o amor valer a pena"

25 de jan de 2010

Então...


Um passo de cada vez,
mas sempre caminhando...


Me peguei pensando...


"A vida começa no final de sua zona de conforto."
Neale Donald Walsch

Lá onde mora a coragem o encontro foi marcado, e o recuo não está inscrito nos anais da caminhada. Essa intersecção acontece no momento em que ganha corpo e tônus a perseverante decisão, impelindo-nos a prosseguir a escalada dos degraus que transporão o limite entre o que escolhemos e essa distância que nos afasta desses quereres. A maioria destes quereres não está mesmo visível aos olhos de ver...é preciso buscar as lentes do coração. E ainda que as imagens se transponham e alterem a placidez do conforto que nos abriga no conhecido, destemer o que surgirá na próxima esquina dobrada pela valentia, é avançar o caminho seguro que alcança o objeto da luta. O prêmio pelo vigor emprestado aos passos, a paz da escolha almejada e conquistada.
A zona de conforto nos protege de tudo, menos desse lugar chamado vida. E é para lá que, invariavelmente, nos dirigimos. Por que então alongamos a distância pegando tantos atalhos estranhos aos fins da caminhada?? Seria porque ainda não estamos prontos para ter as mãos cheias de tudo que precisamos dispor, como artífices da construção sonhada, escolhida?

Neale Donald Walsch



"Toda decisão que você toma - toda decisão - não é uma decisão sobre o que você faz. É uma decisão sobre Quem Você É. Quando você vê isso, quando você entende isso, tudo muda. Você começa a ver a vida de um modo novo. Todos eventos, ocorrências, e situações se transformam em oportunidades para fazer o que você veio fazer aqui."

24 de jan de 2010

Fernando Pessoa



"Matar o sonho é matarmo-nos. É mutilar a nossa alma.
O sonho é o que temos de realmente nosso,
de impenetravelmente e inexpugnavelmente nosso."

Perguntas



Quantas vezes você andava na rua e sentiu um perfume e lembrou de alguém que gosta muito?
Quantas vezes você olhou para uma paisagem em uma foto, e não se imaginou lá com alguém...
Quantas vezes você estava do lado de alguém, e sua cabeça não estava ali?
Alguma vez você já se arrependeu de algo que falou dois segundos depois de ter falado?
Você deve ter visto que aquele filme, que vocês dois viram juntos no cinema, vai passar na TV...
E você gelou porque o bom daquele momento já passou...
E aquela música que você não gosta de ouvir porque lembra algo ou alguém que você quer esquecer mas não consegue?
Não teve aquele dia em que tudo deu errado, mas que no finzinho aconteceu algo maravilhoso?
E aquele dia em que tudo deu certo, exceto pelo final que estragou tudo?
Você já chorou por que lembrou de alguém que amava e não pôde dizer isso para essa pessoa?
Você já reencontrou um grande amor do passado e viu que ele mudou?
Para essas perguntas existem muitas respostas...
Mas o importante sobre elas não é a resposta em si...
Mas sim o sentimento...
Todos nós amamos, erramos ou julgamos mal...
Todos nós já fizemos uma coisa quando o coração mandava fazer outra...
Então, qual a moral disso tudo?
Nem tudo sai como planejamos portanto, uma coisa é certa...
Não continue pensando em suas fraquezas e erros, faça tudo que puder para ser feliz hoje!
Não deite com mágoas no coração.
Não durma sem ao menos fazer uma pessoa feliz!
E comece com você mesmo!!!


Martha Medeiros