“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


27 de jun de 2008

A contradição do amor...


O amor deixa de ser pedinte – e se torna Amor - quando existe de dentro para dentro.
Amar é não necessitar do outro, ser amado é não precisar esmolar.
Amar é não condicionar o outro, ser amado é a melhor condição.
Amar é um querer singular, ser amado pode estar no plural.
Amar é não precisar optar, ser amado é já estar escolhido.
Amar é a estranheza do novo, ser amado é conhecer o caminho.
Amar é uma arte difícil, ser amado é bem mais descomplicado.
Amar é ecoar na quietude do outro, ser amado é ficar no conforto do silêncio.
Amar é um dom fartamente divulgado, ser amado é um presente não anunciado.
Amar é tirar os pés do chão, ser amado é encontrar o porto seguro.
A simultaneidade sustenta o amor. A contradição o estimula.
A provisão o nutre. O descuido o mata.
Amar é dois. É par.
O Amor é singular. E plural - quando somos amados.

♥ Denise

25 de jun de 2008

Simplesmente...(minha) mãe!!



Eu pensava no que comprar pra te presentear neste dia 25...

Independente da escolha material que eu faça, meu coração prontamente se armou de emoção e me vai ditar os sentimentos que sinto se derramando, no puro desejo de te contar, da maneira mais simples, o quanto te amo.

Não posso esperar não poder mais te dizer, para então falar...e só quem é mãe pode compreender o efeito de um único gesto, um ameaço de abraço, um arremedo de sorriso ou isto, o coração expondo o que sente, pode fazer a um coração materno...

Se você fosse música, minha mãe, seria uma serenata na calada de uma noite de lua cheia, para cobrir de magia o instante que estivesse a enfeitar...

Se você fosse um dom, seria por certo, o de doar-se interminavelmente, ainda que sequer um olhar de admiração te seguisse...

Se você fosse uma flor, me deixaria na enorme dificuldade de escolher, porque tanto a simplicidade da margarida te serve, como a altivez de uma orquídea te representa...

Se você fosse um ensinamento, gostaria que andasse de mãos dadas com a perseverança, porque esta virtude acomete os fortes como você...

Se você fosse um som, ficaria perfeito um sino a ressoar ao longe, reproduzindo as batidas de um coração amoroso...

Se você fosse uma raridade, te faria a bondade despretensiosa que existe para o bem fazer, e sem olhar a quem...

Se você fosse um tesouro, deveria mesmo estar confinada a sete chaves, como te guardo, aqui bem fundo em meu coração...

Se você fosse suavidade, como luva te caberia o menear lento de cabeça ao discordar dos demais, sem impor a ninguém a tua forma de pensar...

Se você fosse um verbo, teria de ter muitas conjugações, em todos os tempos e modos. Não encontrei a melhor ocorrência que te faça jus...mas fico tentada a escolher o verbo amar pra te representar...

Se você fosse um presente, seguramente te diria que é raro. Mas te vejo no meu presente, e isso, pra mim, é o que de mais bonito você poderia ser...

Se você fosse um sentimento, não te poderia separar o amor da ternura, você não existiria sem um, ou outro, a te acompanhar os mínimos gestos e o menor dos sorrisos...

Se você fosse um sonho, te pediria que não se perdesse, que jamais morresse e, pra sempre, ao meu lado permanecesse...

Se você fosse a força, te diria que é a mais doce que já vi, presente na delicadeza da palavra que evita ferir, mas que sabe bradar no tom que a situação determina...

Se você fosse um animal, a leoa é que te cabe melhor, pois é uma mulher que esconde a fragilidade na coragem com que defende a nós, tuas crias maduras, tão e para sempre por você amadas...

Se você fosse um nome, seria Mãe! Definitivamente, é o que melhor te cabe nesta existência. Como é Mãe, a minha, aqui me tem, reverenciando-a e agradecendo por tê-la comigo.

Sim, porque o aniversário é teu, minha mãe, mas o presente, este é meu.

Obrigada, por ser meu melhor exemplo.
Obrigada, por tanto e todo o amor.
Obrigada por comigo dividir, para aliviar a minha dor.
Obrigada por me ensinar a ser mãe, e, como você, amar, amar...e, infinita e e-terna-mente, amar!!!

♥ Denise

24 de jun de 2008

Sem postergar...


Acho que recebi um chamamento...
Já plantei algumas sementes, mudinhas, que se transformaram em árvore. Tive filhos, dois - maravilhosos. Me falta escrever um livro. Mas não por isso a idéia aparece, tímida...
Tenho intimidade com as palavras, nos damos bem, pela prática constante. Porém, não se impõe o cunho literário, e sim, o biográfico. Terei algumas gerações sucessoras, e quando surgirem as inevitáveis perguntas que seguem os dedinhos apontando a imagem na foto amarelada:
- Quem é esta? e como ela era?
Nessa hora, posso eu mesma apresentar-me, sem intermediários ou negociadores.
Este chamamento já vem se manifestando aos poucos, numa crescente exigência de me fazer parar e aceitar o pedido.
Pedido feito, pedido aceito!
Essa decisão me confere, neste instante, uma alegria que não quer ser póstuma!!!

♥ Denise

23 de jun de 2008

Onde o Amor Floresce.


Existem vidas que transmitem grandes lições. Quase sempre são criaturas que não são famosas, nem por serem artistas, políticos, ou terem realizado feitos que alteraram o destino da humanidade.

São pessoas que vivem o dia-a-dia, junto a outras tantas. Geralmente poucos lhes lembram os nomes. Recentemente, num documentário televisivo a respeito do holocausto, ouvimos a história de uma jovem polonesa e seu drama, durante a segunda grande guerra.

Quando Hitler invadiu a Polônia e iniciou a perseguição aos judeus, sua família viveu alguns meses, escondida em um porão. Descobertos, contudo, foram separados e ela nunca mais viu seus pais ou teve notícias de seus irmãos.

No campo de concentração, onde foi colocada, ela padeceu os maiores horrores. A comida era pouca, o tratamento rude. As companheiras enlouqueciam. Ou eram mortas. Ou se matavam.

A essa altura, o repórter perguntou à entrevistada se ela nunca pensara em se matar. "Sim," disse ela. "Mais de uma vez. Quando o frio era muito grande, a fome parecia me devorar e eu não via perspectiva de salvação. Mas, nesses momentos, lembrava de meu pai." Logo que fomos para o porão nos ocultar dos nazistas, ele me disse um dia: 'filha, aconteça o que acontecer, nunca fuja da vida. Resista até o fim.' E me fez prometer que jamais eu desistiria de viver.

Quando os aliados foram vitoriosos, a jovem, e mais 4000 mulheres foram obrigadas a uma marcha forçada pelos alemães, em fuga das tropas aliadas. Finalmente, um número muito pequeno delas, que não haviam morrido no longo trajeto, foram abandonadas num campo de concentração e encontradas, mais tarde, pelos americanos. Aquelas mulheres estavam desnutridas. Algumas sequer podiam se erguer, tal o estado de fraqueza.

Ela mesma, confessa, tinha dificuldades para andar, pesava 30 e poucos quilos somente. E não tomava banho há 3 anos. O seu tempo de aprisionamento. Então um oficial americano, muito bonito se aproximou dela e a tomou nos braços, carregando-a até um caminhão. Durante o trajeto ele foi lhe dizendo que ficasse calma, que tudo daria certo, que ela receberia o socorro necessário.

Cinqüenta e oito anos depois, frente às câmeras de televisão, ela e o marido mostravam a alegria de sua união. Bom, o marido não era outro senão o jovem oficial americano que a encontrou magra, suja, desnutrida e a carregou nos braços, naquele dia distante.

Ela não somente teve a sua vida salva naquele momento, sendo resgatada de uma situação de penúria, como encontrou o seu grande amor. Um amor que atravessou meio século e continua tão forte e especial como nos dias do início namoro.
Um amor que foi concebido ao final de uma hecatombe, e em que o primeiro encontro foi num ambiente de dor, miséria moral e intenso sofrimento. Ele era o jovem robusto, vigoroso. Ela, uma esquálida jovem, pouco mais que adolescente, sofrida e quase sem esperanças.

Deus tem mesmo inimagináveis caminhos para encontros e reencontros de almas que se desejam unir pelo amor.

Se os dias lhe parecem demasiado pesados, com sua carga de problemas, não desista de lutar.

Se você está a ponto de abandonar tudo, espere um pouco. Aguarde o amanhecer, espere o dia passar e deixe o sol retornar outra vez.

Quando você menos espera, o socorro chega, a situação se modifica, a problemática alcança uma solução.

Não se esqueça: O amor de Deus nunca falha! Aguarde.
♥ Equipe de Redação do Momento Espírita


22 de jun de 2008

Um convite.


Pare tudo. Recicle. Repense. Reveja.

A vida é dividida em ciclos, etapas, vivências. É como estações de trem, recolhendo e entregando passageiros. Alguns chegam, alguns partem. E há aqueles que chegam pra nunca mais partir. São os eternos ocupantes dos melhores lugares. E notem o quanto essa presença determina que é dia e tem um sol radiante brilhando e aquecendo esse trajeto, colorindo essa caminhada!!

A vida dispõe de oportunidades criadas por nós mesmos, num festival de idas e vindas numa busca trôpega pelo ideal que deve preencher o real. Ou seria o contrário?

Sem descanso criamos o futuro, esse que não sabemos onde está e que, às vezes, parece estar demorando - muito - a chegar. E se a gente não tem pressa, tem a urgência. A urgência de ser feliz. E é tamanha a urgência, que atropela a criação. E cega a visão.

Parar e repensar a vida é um gesto de amor. Amor próprio. Amor pelo ser que queremos atrair. Rever o como está criando – e está, o tempo todo – e o que está em desarmonia.

Espiar dentro de si, lugar onde moram nossas questões e as únicas respostas possíveis, numa entrega total de procura de entendimento, é o meio mais seguro para ajustar a rota, mudar o cenário, construir o caminho e alcançar o desejado, de fato.

Parar tudo. Reciclar. Repensar. Rever...sinônimo de “viver”!!

♥ Denise

13 de jun de 2008

Tão apropriada...




Desconheço a autoria:



"Não grite alto que és feliz, a inveja tem sono leve!"






8 de jun de 2008

Penso...sinto...



O pensar,
esse martela e ressoa
na pessoa
na cabeça
interroga e revoga
na razão
na mente
desmente a emoção
porque esta...
o sentir,
revira e devasta
no peito
no coração
sangra e aquece
explode em chamas, se paixão
deságua em dor, se rejeição
dança em festa, se amor
se debruça...de saudade!!

♥ Denise

7 de jun de 2008

Amigo


"Amigo" é uma palavra que define poucos.

Aprendi que a qualidade está, necessariamente, vinculada à esta relação.

A amizade inclui alguns raros atributos ou temperos, como a lealdade, a verdade, o desinteresse, a tolerância, a humildade, a fraternidade, a compaixão, o amor. Sem isto, não há relação (verdadeira) possível.

Entre ser numerosa a minha lista de amigos e verdadeira, escolho a qualidade implícita no "menos" que, via de regra, realmente é "mais".

♥ Denise

Sementes do amor


Amar, sem manter qualquer expectativa de ser amado pelas pessoas que não nos entendem. Amar, sem cobrar nada em troca, doar-se pelo simples fato de entender que o amor é bálsamo para velhas feridas, é remédio para cicatrizes profundas, é elixir para os que tem a alma sedenta de paz.

Amar, verbo transitivo direto, que pede antes de mais nada, renúncia de um monte de sentimentos que lembram o amor, mas não é. A posse, a imposição de qualquer coisa, o desrespeito pelo direito individual, as reclamações infindáveis, as obrigações, os desejos que partem apenas de um lado, as brigas constantes e as ofensas morais e físicas, não podem fazer parte do amor, não condizem com o amor, que antes de mais nada é pacífico, é puro e não requer limites.

Quem ama, persevera, espera, tem paciência natural, não precisa contar até 100, sabe que as mudanças vão ocorrer, vencem pela sabedoria, pois nenhuma força é maior que o amor. Dizem que quem ama, perdoa, mas quem ama não precisa perdoar, pois não se magoa, não se deixa perturbar, nem tem o que perdoar.

Quem ama sabe, o amor é em si mesmo o próprio sabor da fruta mais doce, o gosto mais saboroso de qualquer alimento, é o creme do doce, é a cobertura do bolo, o favo de mel carregado, da oração o êxtase, da adoração, o sublime, e da própria vida, a essência.

Mais do que fé, mais do que esperança, mais do que devoção, mais do que intenção, precisamos mesmo é de amor, de vivenciar o amor por tudo e por todos, assim, mudamos, não apenas o homem, mas o mundo inteiro.

Ame sem restrições, sem definições, sem esperas, sem se machucar, deixando-se embalar pelo amor que contagia e se espalha como sementes ao vento da Boa Nova.

♥ Paulo Roberto Gaefke

"Se você está apaixonada por mim, nunca..."


Escrever um bilhete fictício a uma mulher apaixonada que dissesse o que ela jamais deveria fazer - ou deixar de fazer - para não estragar o romance. Esse foi um desafio da revista Marie Claire a alguns homens famosos.

O músico Nando Reis escreveu:

"Querida,

Quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace.
Quando eu estiver louco
Subitamente se afaste.
Quando eu estiver fogo
Suavemente se encaixe.
E quando eu estiver bobo
Sutilmente disfarce.
Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate de dentro de ti.
Eu."